Claudya – Deixa Eu Dizer (1973)

DE FACE MOSTRADA E RISO INTEIRO

Não quis resenhar o disco, mas apenas elogiar esta obra-prima, lançada em 1973 pela Odeon após dois álbuns de grande sucesso da cantora no mesmo selo. Todas as gravações são excelentes, mas parece que não tiveram a repercussão merecida na época. “Deixa Eu (SIC) Dizer” concorre ao posto de melhor álbum de carreira de Claudya, e a faixa-título (de Ivan Lins e Ronaldo Monteiro de Souza) – com seu arranjo alucinado e alucinante – é mais um claro exemplo de que a sofisticação da bossa-nova paira bem acima de qualquer coisa que se queira dizer sobre ela, com ou sem autoridade para isso.

Em 2008, Marcelo D2 sampleou-a e catapultou-a, mas as outras permecem obscuras, sempre à beira do justo resgate. Elas ainda podem surpreender muitos djs de rap, nacionais ou gringos, ricos ou multimilionários. É (re)ouvir para crer.

P.S.: há uma compilação homônima, com capa igual, que é facilmente confundida com o LP solo.

Publicação: Kléssius Leão (KL BAHIA)