Roberto Carlos – É Proibido Fumar (1964)

“É Proibido Fumar” deve estar em qualquer TOP 5 sobre discos de rock brasileiros fundamentais, na minha humilde opinião. Roberto Carlos já vinha de alguns discos de 78 rotações e 2 LPs, sendo que o segundo deles trouxe o hit “Splish Splash”, versão de um clássico de Bob Darin assinada por Erasmo Carlos. Aqui, o capixaba de Cachoeiro de Itapemirim acelerou a velocidade na estrada do sucesso e investindo cada vez mais na música Pop, jamais parando na Contramão.

As sessões de gravações ocorreram no estúdio da CBS do Rio de Janeiro, na Rua Visconde, nos dias 08, 17 e 18 de junho de 1964. O acompanhamento instrumental ficou a cargo da banda “The Youngsters”. A banda carioca era uma resposta aos paulistas The Jordans e The Clevers (futuros “Os Incríveis”). Na época, sua formação contava com Jonas Damasceno, Carlos Roberto, Carlos Becker, Sérgio Becker e Romir Andrade.

Apesar da faixa-título indicar a abordagem sobre a rebeldia juvenil da década de 60, por muitas vezes serena, o carro chefe do álbum se tornou “O Calhambeque”. Essa é mais uma versão do parceiro Erasmo Carlos, cujo arranjo foi inicialmente planejado pra ter um naipe de metais. Entretanto, Roberto gravava á noite e não havia músicos disponíveis na ocasião. De improviso aliado a intuição, a música ganhou um arranjo acústico, bem simplório cujo som de percussão vem de uma lata de fita de gravação, tocada com vassourinhas por Romir. O Baterista lembrou do processo de gravação anos depois, em seu livro “Memórias do Baterista Canhoto” (Editora Scortecci, 2016).

Do repertório autoral com Erasmo, além da faixa-título, também encontramos “Broto do Jacaré”, a la história de gibi ou desenho animado que é um dos hinos do estilo “surf music”, popularizado pelos Beach Boys e “Louco Não Estou Mais”, balada que faz referência ás canções “Mr. Sandman” (do LP Louco por Você), “Malena”, “Susie” (estas duas últimas de 78rpm’s de 1962), “Splish Splash” e “Baby, Meu Bem” (ambas do álbum de 63).

Destaque também para Rossini Pinto, o versionista e compositor popular cuja importância futura para a Jovem Guarda seria incalculável. É dele a autoria de “Um Leão Está Solto nas Ruas”.

Quanto ás versões, além das já citadas, temos “Nasci Para Chorar”, mais uma assinada por Erasmo, enquanto Roberto assina “Desamarre o meu Coração” (Unchain My Heart, sucesso de Ray Charles). Outras canções como “Rosinha” e “Amapolla” se tornariam futuramente lembradas pelo grande público.

É Proibido Fumar é um álbum puramente Pop, abrangendo Rock, baladas juvenis e inclusive o Soul suingado de Ray Charles. Produzido pro Evandro Ribeiro, o álbum foi lançado em julho de 1964.

Fonte: O GLOBO DA MÚSICA